Mendoza: visita às bodegas

Quando viajo pra algum lugar onde o deslocamento tem papel importante, sempre que possível opto por aluguel de carro. Fiz isso na Andaluzia (Espanha) e na Jamaica e foi perfeito. Pensei em fazê-lo também em Mendoza, onde as principais atrações são as vinícolas (chamadas aqui de Bodegas), mas fui desencorajada durante a pesquisa por diversos […]

Leia Mais "Mendoza: visita às bodegas"

A travessia dos Andes

Aerial_photo_of_the_Andes
Foto aérea da Cordilheira dos Andes 

O vôo de Santiago a Mendoza é praticamente todo feito sobre a Cordilheira dos Andes. O comandante, logo assim que o avião estabiliza após a decolagem, avisa que está proibido levantar do assento durante toda a travessia, ou seja, durante todo o vôo, que dura aproximadamente uma hora.

Esse trajeto, no sentido contrário,  foi o mesmo feito pelo avião que caiu sobre as Cordilheiras em na sexta feira 13 de outubro de 1972 com 45 pessoas a bordo e foi especialmente aterrorizador porque as pessoas, ao serem resgatadas, contaram que tinham comido carne humana para sobreviver enquanto não chegava o resgate.

Sempre gostei de histórias de sobrevivência em condições extremas. Por alguma razão, me fascina ver como o ser humano, sob certas condições adversas e sempre por uma motivação especial, consegue enfrentar os golpes mais duros do destino e vencer a morte quase certa.

Por gostar dessas histórias, conheço muitas.  O acidente dos Andes, entretanto, foi de todos o que mais me admirou pela coragem e determinação de Fernando Parrado, rapaz que enfrentou a Cordilheira e acabou salvando todos outros 19 sobreviventes. Sua motivação não era sua própria dor, mas a dor do seu pai. Com ele no avião estavam a mãe e a irmã, que morreram. Como a família era composta somente do casal de pais e do casal de filhos, ele contou que ficou pensando na dor do pai que estaria em casa pensando que perdera toda a família. Mas isso não era verdade,  pois ele estava vivo. Decidiu, então, sair andando pela Cordilheira até encontrar ajuda, com o único objetivo de diminuir a dor de seu pai.

mi_431746878742939

Quando estive no Valle Nevado, tive a experiência de como é difícil, praticamente impossível, caminhar na neve. Você põe o pé e ele afunda, impedindo que você levante o de trás e fazendo com que você precise usar as mãos pra continuar. No passo seguinte, o mesmo drama, de forma que eu desisti rapidamente.

Essa experiência me fez admirar ainda mais a coragem do herói do acidente. Ao total, ele caminhou 65 quilômetros do local do acidente até encontrar ajuda. Durante dez dias, vagou pelo deserto de neve, tendi por comida pedaços de gente morta e bebendo neve derretida. Guiou-se pela vegetação até encontrar, do outro lado de um rio, um homem que estranhou sua presença no local e, não conseguindo ouvir nada do que ele dizia do outro lado, foi em casa, pegou lápis e papel e, voltando ao local, os amarrou numa pedra e atirou na outra margem, para então descobrir que se tratava do sobrevivente do acidente. Dando continuidade ao esforço de Fernando, esse homem cavalgou por oito horas até o posto mais próximo da polícia , dando o alarme e permitindo que todos os sobreviventes fossem resgatados.

IMAGEN-14446781-2

Quando chegou ao posto policial, pediu pra telefonar. E, ligando para o pai, cumpriu a missão da qual lhe encarregou seu coração: dizer a ele que nem a poderosa Cordilheira dos Andes era mais forte que seu amor por ele.

Fernando_Parrado_-_01.jpg
Fernando Parrado  (ao centro) no dia do resgate 
Leia Mais "A travessia dos Andes"

Santiago dia 2: Cerro Santa Lucía, Concha y Toro e Templo Baha’aí

Saímos cedo pra enfrentar mais uma manhã gelada na cidade de Santiago. Nosso roteiro começaria pelo Cerro de Santa Lucía, bem próximo ao hostel onde estávamos hospedadas. Este local foi de grande importância história do Chile.  Isso porque, sendo um morro, proporciona a visão de toda a cidade abaixo, permitindo que fosse vigiada contra visitantes […]

Leia Mais "Santiago dia 2: Cerro Santa Lucía, Concha y Toro e Templo Baha’aí"

Santiago dos mapuches

Segundo a guia de turismo do excelente free walking tour que fizemos hoje, a palavra Chile significa terras frias na língua dos mapuche, que são o povo indígena original daqui.  Acho que isso explica a temperatura de 4°C que estava fazendo no dia de hoje, apesar de o inverno ainda nem ter começado oficialmente e […]

Leia Mais "Santiago dos mapuches"

Quase na hora…

Devagarzinho, a viagem vai chegando. Eu e meu supervisor de arrumação de malas fizemos um trabalho criterioso. A previsão do tempo, que nunca deve ser ignorada na hora de arrumar a mala, fala num clima entre 14 e 6°. Friozinho gostoso, mas que deixa a mala mais pesada. De qualquer forma, prefiro sempre levar o […]

Leia Mais "Quase na hora…"

Atendendo a pedidos!!!

Sempre gostei de viajar, desde que era criança. Já naquela época eu sentia uma vontade imensa conhecer outros países de mundo. Desde que comecei, já conheci 23 países, além da maioria dos estados brasileiros. Com o tempo, fui arrebanhando amigos que curtiam viajar comigo. A criação desse blog é dedicada a esses amigos, que me […]

Leia Mais "Atendendo a pedidos!!!"